[Imagem de capa: reconstrução do Epapatelo otyikokolo em vida. Arte por Petite Paleoartist/Sauriazoicillus, via Twiter.]

Pterossauros foram os primeiros vertebrados terrestres a desenvolverem a capacidade de voo ativo, já no período Triássico, e enquanto seus primos distantes, os dinossauros, conquistavam a terra firme, eles conquistavam os céus da Era Mesozoica. Fósseis de pterossauros foram descobertos em todos os continentes do globo, e uma nova pesquisa, publicada no dia 09/09, revela a descrição do primeiro pterossauro do território angolano.

A descoberta foi feita pelo Projecto PaleoAngola, uma iniciativa paleontológica do país que tem como objetivo estudar os efeitos da abertura do Oceano Atlântico durante o período Cretáceo e os organismos que viviam nessa região enquanto este processo ocorria. O projeto, que atua desde 2005, anunciou a descoberta de 14 fósseis de pterossauros no país, pertencentes a ao menos 11 indivíduos. Destes 14 fósseis descobertos, dois pertenciam à nova espécie descrita: Epapatelo otyikokolo.

O Epapatelo foi um pterossauro pteranodontiano que viveu na região da atual Angola por volta de 71 milhões de anos atrás, durante o período Cretáceo. Este animal provavelmente era piscívoro, e poderia ter uma envergadura de até 5.6 metros, de acordo com o parátipo. O holótipo era menor, com uma envergadura estimada em 4.8 metros, e pode indicar ter pertencido a um animal mais jovem. Seus fósseis foram recuperados da Formação Mucuio, na província de Namibe. O nome do animal foi dado utilizando-se palavras do idioma do povo Nhaneca (ou Nyaneka), um grupo nômade nativo da província de Namibe. O nome genérico, Epapatelo, significa, nesse idioma, “asa”, enquanto o epíteto específico, otyikokolo, significa “lagarto”.

Rádio e ulna do parátipo de Epapatelo otyikokolo. Imagem por Fernandes et al.

Os fósseis fazem parte da coleção do Museu Geológico da Universidade Agostinho Neto, em Luanda, Angola, mas estão atualmente emprestados ao Museu da Lourinhã, em Portugal, seguindo-se todos os regulamentos necessários.

Fonte:

Fernandes, Alexandra E.; Mateus, Octávio; Andres, Brian; Polcyn, Michael J.; Schulp, Anne S.; Gonçalves, António Olímpio; Jacobs, Louis L. (2022). “Pterosaurs from the Late Cretaceous of Angola”. Diversity14 (9). 741. doi:10.3390/d14090741.

Projecto PaleoAngola